1 2 3 4
Loading...

Dataprev inicia inscrições de concurso com 322 vagas na Paraíba

Toda as vagas da Paraíba são para nível superior.Inscrições vão até 17 de novembro; taxa é de R$ 80.


A Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev) inicia nesta segunda-feira (20) as inscrições para o concurso público que está oferecendo 322 vagas na Paraíba.Em todo o país, são oferecidas 4.016 vagas, todas para cadastro de reserva.

Toda as vagas da Paraíba são para nível superior, divididas entre os cargos de web design, desenvolvimento I, gestão de TIC, infraestrutura e aplicações e serviços logísticos. A previsão de salário para todos os cargos lotados em João Pessoa é de R$ 6.395,39.

Também existem oportunidades para as cidades do Rio de Janeiro, Florianópolis, Fortaleza, Natal, São Paulo, Boa Vista, Macapá, Palmas, Porto Velho, Rio Branco, Aracaju, Salvador, Vitória, Belo Horizonte, Campos Grande, Cuiabá, Belém, Manaus, Goiânia, Curitiba, Porto Alegre, Maceió, Recife, São Luis, Teresina e Brasília. As 4.016 vagas em cargos de níveis médio e superior. As remunerações vão de R$ 3.129,73 a R$ 6.395,39.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.quadrix.org.br no período de 20 de outubro a 17 de novembro. A taxa é de R$ 50 para nível médio e R$ 80 para nível superior.

No site do Instituto Quadrix, é possível ver o edital (acesse o edital). O concurso terá validade de 2 anos e poderá ser prorrogado, uma vez, por igual período.

A seleção será feita por meio de prova objetiva, prova discursiva e prova de títulos, somente para nível superior. Do total das oportunidades, 10% são reservadas para pessoas com deficiência e 20% são para negros e pardos.

As provas objetiva e discursiva serão aplicadas na data provável de 14 de dezembro. No ato da inscrição, o candidato deverá optar por uma das 26 capitais ou o Distrito Federal para realizar as provas.

Fonte: http://g1.globo.com
Ler Mais

Dilma Rousseff defende valorização do salário mínimo

A presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, defende a valorização do Salário Mínimo e reconhece a contribuição de seu aumento na melhoria da qualidade de vida do trabalhador brasileiro na última década. Desde 2003, o valor do mínimo teve crescimento real (acima da inflação) de 72,31%, de acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A valorização beneficiou diretamente 48 milhões de trabalhadores brasileiros que têm sua renda vinculada ao valor do piso nacional.

A presidenta Dilma acredita que o aumento do poder de compra do Salário Mínimo contribuiu para o fortalecimento da economia do País e para a redução das desigualdades sociais. “Houve governos em que o salário mínimo era baixíssimo e a inflação era muito alta, bem mais alta do que nos nossos governos, meu e do Lula. O que estamos fazendo é recuperar o poder de compra do salário mínimo, que vinha perdendo valor fazia muito tempo”, disse.

Salário no Brasil cresce mais do que no mundo
No mundo, os salários cresceram 1,3% em 2009; 2,1% em 2010 e 1,2% em 2011. No Brasil, os níveis atingiram quase o dobro do mundo, acima da inflação: 3,2% em 2009, ano da crise; chegando ao ápice em 2010, com 3,8%; e 2,7%, em 2011.


O relatório da Organização Mundial do Trabalho (OIT) aponta que a manutenção do crescimento dos salários no País se deve às políticas de valorização do Salário Mínimo e ao ganho de produtividade no mercado. De acordo com o Relatório Global sobre os Salários 2012/13, elaborado pela entidade, a média anual de crescimento do salário real no Brasil superou a média mundial entre 2009 e 2011.

Essa política adotada pelo Governo Federal também impulsionou os ganhos obtidos pelos trabalhadores de diversas categorias nas negociações com os patrões no ano passado. “O aumento real do Salário Mínimo nos últimos dez anos balizou os acordos coletivos em todo o País, e precisa ter continuidade”, destacou o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias.

A política de valorização do Salário Mínimo começou a ser elaborada em 2006, no governo Lula. A consolidação aconteceu em 2011, com base na Lei n° 12.382, que definiu que o salário mínimo do trabalhador brasileiro será reajustado de acordo com a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes, mais a inflação do ano anterior, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). O dinheiro em circulação impulsiona a economia, gera novos empregos e fortalece o desenvolvimento. Os resultados são reconhecidos por entidades internacionais como a Organização Mundial do Trabalho (OIT).

Em 2013, 95% das 685 unidades de negociação salarial analisadas pelo Sistema de Acompanhamento de Salários (SAS-Dieese) conquistaram reajustes acima da inflação para pisos salariais das categorias. Segundo o Balanço dos Pisos Salariais Negociados em 2013, do Dieese, o valor médio dos pisos salariais foi 9% maior, em termos nominais, que o valor médio observado nas mesmas unidades de negociação em 2012.

Oposição tenta barrar reajustes
A política de valorização do Salário Mínimo promovida por Lula e Dilma, que obteve resultados concretos para a população brasileira e reconhecimento internacional, corre risco de extinção. O candidato à presidência pelo PSDB, Aécio Neves, votou contra a Política de Valorização do Salário Mínimo (PLC 1/2011), renovada por Dilma, que garante aumentos salariais reais, acima da inflação, ano a ano.


O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, também do PSDB, quando estava no cargo, propôs mudanças no artigo 618 da CLT, que retirava o direito dos trabalhadores. O tucano defendia que garantias dos trabalhadores, como férias e jornada poderiam ser alterados em acordos coletivos. Na ocasião, o presidente da Câmara dos Deputados, órgão que aprovou a proposta, era Aécio Neves. Entretanto, em 2003, o presidente Lula impediu que as mudanças que prejudicariam os trabalhadores fossem a diante.

Além disso, o candidato Aécio já anunciou que, se eleito, Armínio Fraga será o novo Ministro da Fazenda. O economista declarou que a política de valorização do Salário Mínimo é um tema que precisa ser discutido. “O salário mínimo cresceu muito ao longo dos anos. É uma questão de fazer conta. O assunto é muito complexo e polêmico”, afirmou Fraga.

O candidato a vice-presidente de Aécio Neves, Aloysio Nunes Ferreira, determinou em 2009 que as estatais paulistas não poderiam conceder aumentos salariais e que deveriam retirar alguns direitos adquiridos pelos trabalhadores. Durante o governo de José Serra, em São Paulo, Aloysio foi chefe da Casa Civil e presidente da Comissão de Política Salarial.

Entre as medidas anunciadas por ele estava a proibição de negociação de novos benefícios (congelando os já existentes) e a redução de valores que ultrapassem a determinação registrada em Ofício de 17 de novembro de 2009: “Fica vedada a criação de benefícios, por liberalidade, bem como a majoração ou expansão dos previstos na legislação trabalhista, quer em termos quantitativos (em relação a valores ou percentuais previstos em lei), quer no que diz respeito à ampliação de suas hipóteses de incidência”.

No mesmo ofício havia a proibição de que os reajustes salariais e benefícios de cada categoria ultrapassasse o IPC-FIPE (índice relativo à inflação) do ano anterior, e que deveriam ser extintas as garantias de manutenção de nível de emprego negociadas em acordos anteriores. Proibiu, ainda, a negociação de qualquer garantia temporária de emprego, congelou os adicionais por tempo de serviço e proibiu a negociação de planos de Previdência Suplementar, planos de cargos e carreira, incentivo à aposentadoria ou demissão voluntária.

Mais Renda
A OIT também destaca a valorização de salário mínimo como uma das medidas que explicam a redução da pobreza no Brasil, o que é citado em trecho do relatório “2003 – Reparando o tecido econômico e social”. O relatório destacou o crescimento de 16% da classe média e, segundo a OIT, isso ocorreu devido ao fortalecimento do salário mínimo, entre outras ações.


Para a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a superação da fome no Brasil, apontada no relatório “O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo”, é resultado da prioridade do Governo Federal no combate à fome, a partir de um conjunto de políticas públicas que garantiram aumento da renda da população mais pobre, maior acesso a alimentos, com especial destaque à merenda escolar, e a consolidação de uma rede de proteção social no País.

Entre os motivos que explicam o desempenho do Brasil na redução da fome, a FAO aponta o crescimento da renda da parcela mais pobre da população brasileira. Entre 2001 e 2012, a renda dos 20% mais pobres cresceu três vezes mais do que a renda dos 20% mais ricos. Esse movimento foi garantido por políticas de valorização do salário mínimo e de geração de emprego e renda no Brasil.

Fonte: www.saladeimprensadilma.com.br
Ler Mais

IFPB reabre edital com vagas para curso técnico de Secretaria Escolar

Estão reabertas as inscrições para  o curso técnico em Secretaria Escolar no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB). O curso é subsequente ao ensino médio e na modalidade de Educação a Distância. O Processo Seletivo é do Programa de Formação Inicial em Serviço dos Profissionais da Educação Básica dos Sistemas de Ensino Público (Profuncionário).
Ao todo há 800 vagas, distribuídas nos polos de apoio presencial de Cajazeiras, Campina Grande, Guarabira, João Pessoa, Monteiro, Patos, Picuí e Sousa, com 50 vagas em cada, para os semestres de 2014.2 e 2015.1.  O candidato interessado pode fazer sua inscrição até 28 de outubro, no valor de R$ 10. Confira o edital aqui.
O curso do Programa Nacional de Formação Inicial em Serviço dos Profissionais da Educação Básica dos Sistemas de Ensino Público é na modalidade de Ensino a Distância. A seleção irá considerar o tempo de serviço dos servidores e por isso eles devem estar atentos à documentação obrigatória para a seleção. Há ainda vagas reservadas para pessoas com deficiência
Para se inscrever no processo seletivo, os servidores devem ter o ensino médio concluído. Não é necessário ser efetivo. Os grupos estão separados dependendo dos locais em que o servidor estiver lotado no período de inscrição: na secretaria da escola; em escolas da rede ou nas secretarias estaduais ou municipais de educação.
O candidato deverá preencher o formulário no site e imprimir o boleto de inscrição. Até o dia 16 de outubro é possível solicitar isenção dessa taxa. O processo seletivo se dará através de análise documental. Os documentos deverão ser entregues na data provável de 11 e 12 de novembro. O resultado final do processo seletivo será divulgado no dia 28 de novembro.
Fonte: http://g1.globo.com
Ler Mais

Cavalo bate o Picuiense por 1 a 0 e vai ao mata-mata.

Serrano e Leonel são os representantes do Sertão na fase de mata-mata da 2ª divisão do Campeonato Paraibano. Os dois times entraram em campo neste sábado, no Estádio Amigão, venceram e seguem em busca do acesso à elite do futebol local em 2015. Quem jogou primeiro foi o Leonel, que bateu o Picuiense por 1 a 0. Logo depois, o Serrano foi a campo e venceu a Perilima por 3 a 1.
O Serrano já entrou em campo classificado, mas não fez por menos e manteve sua invencibilidade ao conquistar sua quinta vitória em seis jogos. O time chegou aos 16 pontos e terminou a fase de grupos como líder da chave sertaneja. Assim, vai pegar o Internacional de Teixeira, segundo do Agreste, na próxima fase. Já o Leonel encerrou a primeira fase com 10 pontos, em segundo, e vai encarar no mata-mata o Lucena, primeiro do Litoral. Picuiense e Perilima estão eliminados. A fase de mata-mata começa na próxima terça-feira.
Leonel vence apertado e conquista a vaga
Picuiense x Leonel, no Estádio Almeidão, pela 2ª divisão do Campeonato Paraibano 2014 (Foto: Silas Batista / GloboEsporte.com/pb)Jogo entre Picuiense e Leonel só esquentou perto do fim (Foto: Silas Batista / GloboEsporte.com/pb)
A partida preliminar no Amigão teve um primeiro tempo morno, com pouca criatividade dos dois times e sem grandes chances de gol. Mas foi na primeira etapa que saiu o único gol da partida. Cobrando pênalti aos 44 minutos, Hélio mandou para as redes e deixou o Leonel em vantagem: 1 a 0.
Na segunda etapa, o jogo melhorou. Hélio voltou a marcar para o Leonel, mas a arbitragem anulou, alegando impedimento. Em seguida, Carioca quase aumentou a vantagem ao aproveitar cruzamento, mas cabeceou para fora. E ainda houve tempo para um pequeno tumulto no fim da partida. Dirigentes e comissão técnica do Picuiense invadiram o campo pedindo pênalti para o time de Picuí. O árbitro, no entanto, marcou apenas falta fora da área, que foi cobrada para fora. No fim, vitória magra e classificação do Leonel.
Serrano se mantém invicto e Perilima deixa a competição sem somar pontos
Serrano x Perilima, no Estádio Almeidão, pela 2ª divisão do Campeonato Paraibano 2014 (Foto: Silas Batista / GloboEsporte.com/pb)Em campo, o Serrano foi bem superior à Perilima (Foto: Silas Batista / GloboEsporte.com/pb)
O Serrano começou o jogo indo para cima da Perilima, único time a não pontuar na competição. E abriu o placar logo aos sete minutos, após chute de Léo Itatuba de fora da área. A bola ainda desviou na zaga, enganando o goleiro Júnior. E não demorou para a vantagem ser ampliada. Aos 15, Rafael se aproveitou de falha da zaga adversária e mandou para as redes, abrindo 2 a 0 para o Serrano. Mas a Perilima não se entregou e diminuiu com Jonathas, que aproveitou cruzamento na área e desviou para as redes. Só que a reação da Perilima foi interrompida quando Juninho marcou de cabeça o terceiro gol do Serrano, fechando o placar da primeira etapa.
No segundo tempo, os dois times pareciam conformados com o resultado dos primeiros 45 minutos e pouco se viu em campo em termos ofensivos. Pouco inspirados, os jogadores não conseguiram mais chegar aos gols adversários e o placar não foi mais alterado até o apito final.
Fonte : http://globoesporte.globo.com
Ler Mais

Profuncionário oferta 800 vagas para Cajazeiras, CG, JP, Monteiro, Patos, Picuí e Sousa

Estão abertas até esta segunda-feira (6) as inscrições do Processo Seletivo para o Curso
Técnico de Secretaria Escolar Subsequente ao Ensino Médio do Profuncionário – Programa de Formação Inicial em Serviço dos Profissionais da Educação Básica dos Sistemas de Ensino Público executado pelo IFPB. Acesse aqui o Edital 358.
O Programa oferece 800 vagas distribuídas entre os Polos Cajazeiras, Campina Grande, Guarabira, João Pessoa, Monteiro, Patos, Picuí e Sousa para os períodos 2014.2 e 2015.1. A seleção é por análise documental.

Podem se inscrever prioritariamente servidores efetivos de escolas públicas (estaduais e municipais) do estado da Paraíba que estejam no exercício de suas atribuições e que possuam certificado de conclusão do ensino médio. A taxa de inscrição é no valor de R$ 10,00 (dez reais).

É possível solicitar isenção do pagamento da taxa no período de 15 a 19 de setembro. A relação dos candidatos inscritos deve ser divulgada até o dia 10 de outubro. O resultado final do Processo Seletivo será divulgado no dia 07 de novembro.

O Profuncionário visa à formação dos funcionários de escola, em efetivo exercício, em habilitação compatível com a atividade que exerce na escola e tem como objetivo, dentre outros, a promoção da melhoria da qualidade da educação e a valorização dos profissionais da educação básica.


Fonte: Ascom do IFPB
Ler Mais

Governo lança novo Plano Safra para Agricultura Familiar

O Plano Safra da Agricultura Familiar chega aos 12 anos com grandes avanços. Nesse período, foram incorporadas ao crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) seguros ao produtor, garantias de preço, inovação tecnológica das propriedades, entre outras ações.
Na próxima segunda-feira (26), o Governo Federal anuncia, no Palácio do Planalto, em Brasília, o Plano Safra para Agricultura Familiar 2014/2015 com novas medidas para alavancar ainda mais o setor, estratégico para o desenvolvimento econômico e social do País.
Na safra 2002/2003, foram liberados 2,3 bilhões em crédito para a agricultura familiar. Para a safra 2013/2014, o governo liberou R$ 21 bilhões. Até abril, agricultoras e agricultores familiares do Brasil já tinham contratado R$ 18,7 bilhões.
“Passamos de 900 mil contratos de financiamento pelo Pronaf para mais de dois milhões na última safra. Este ano, 1,6 milhão de famílias já acessaram os recursos do programa”, explicou o secretário da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), Valter Bianchini.
Segundo ele, o avanço da renda da agricultura familiar está ligado às políticas públicas que favorecem o setor e à conjuntura de mercado. “O objetivo do conjunto de medidas é ampliar a produção e melhorar a qualidade de vida no campo. Contribuem para esse desenvolvimento, também, as políticas sociais que elevam a renda dos brasileiros e provocam um círculo virtuoso, demandando mais alimentos”, destaca.
Plano Safra 2013/2014
Em 2013, o Governo Federal destinou R$ 39 bilhões para o conjunto de medidas que fortalecem a agricultura familiar, conhecido como Plano Safra da Agricultura Familiar. Desse total de recursos, R$ 21 bilhões foram para o Pronaf, possibilitando, assim, que mais agricultores, assentados da reforma agrária, pescadores, extrativistas e povos e comunidades tradicionais possam financiar de forma individual ou coletiva seus empreendimentos.
A novidade do último anúncio foi a mudança no enquadramento para as operações de crédito e de custeio e de investimento, passando de R$ 160 mil para R$ 360 mil para a contratação. As vantagens são um prazo maior para o pagamento e uma taxa de juros abaixo da inflação. 
Essas condições valem até o próximo dia 30 de junho. Em 1° de julho de 2014 passa a vigorar o Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015.
Inovação tecnológica
Foi no Plano Safra que os agricultores familiares passaram a contar com o programa Mais Alimentos, que financia a diversificação e a reestruturação da unidade produtiva e aquisição de máquinas e de novos equipamentos, como o resfriador de leite, produtos para a pesca e aquicultura, irrigação, matrizes, tratores, ordenhadeiras, instalações e outros.
De julho de 2008 a junho de 2013 foram aplicados, no Mais Alimentos, mais de R$ 15 bilhões nos projetos dos produtores rurais. No mesmo período, o programa financiou mais de 75 mil tratores e 47 mil veículos de transporte de carga.
Bianchini explica que o Mais Alimentos foi um dos incrementos do Plano Safra. “Comemoramos os 12 anos do Plano Safra com importantes avanços nas políticas públicas para o setor. Tivemos a inclusão do Seguro da Agricultura Familiar (Seaf); do Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF); a entrada dos mercados institucionais como os programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e o de Alimentação Escolar (Pnae); ajustes no Pronaf e os esforços para a regionalização de algumas medidas, como o que fizemos ao lançar o Plano Safra Semiárido, com um conjunto de medidas estruturantes de convivência com a seca”, explica.
Ler Mais

Relatório aponta queda rápida da extrema pobreza no Brasil

Avanço no combate à miséria foi maior entre crianças menores de seis anos, no campo e nas regiões Norte e Nordeste

Brasília, 23 – Os resultados alcançados pelo Plano Brasil Sem Miséria, lançado em 2011, já aparecem no 5º Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) e apontam que o país está a um passo de superar a pobreza extrema, ao garantir ritmo acelerado na redução das taxas. O documento foi lançado nesta sexta-feira pela presidenta Dilma Rousseff.

Em 2012, de acordo com o relatório, o percentual da população em situação de pobreza extrema havia caído para 3,5%. Esse número ainda não reflete o impacto de medidas adotadas pelo Plano Brasil Sem Miséria ao longo de 2012 e início de 2013. Nessa ocasião, passaram a receber complemento de renda todas as famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família remanescentes na extrema pobreza.


“Tudo aponta para a manutenção do ritmo acelerado da queda depois de 2012”, destacou a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello. Os dados oficiais sobre o impacto das medidas adotadas até o início de 2013 só estarão disponíveis no segundo semestre de 2014.

A coleta de informações da próxima edição da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) ocorreu em setembro do ano passado. Os dados lançados no Relatório dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio foram coletados em setembro de 2012.

“Este relatório ainda não reflete parte importante das inovações do Brasil sem Miséria, quando a complementação de renda às famílias em situação de pobreza extrema foi ampliada para as famílias com adolescentes até 15 anos, e, finalmente, para todas as famílias que permaneciam extremamente pobres no Programa Bolsa Família”, observou Tereza Campello.

Apesar da defasagem nas informações, o relatório já evidencia que a redução da pobreza extrema no Brasil ganhou velocidade entre 2011 e 2012. Nesse período, a proporção de miseráveis na população caiu 16%: passou de 4,2% para 3,5%. O número é próximo da meta de 3% estabelecida pelo Banco Mundial para ser alcançada em 2030.

Foco – Chama a atenção no relatório a queda mais acentuada da extrema pobreza entre crianças menores de seis anos. Se, na média da população, a redução da miséria foi de 16%, entre crianças nessa faixa etária, a taxa alcançou 20% entre 2011 e 2012.


O resultado é reflexo das primeiras medidas adotadas no mandato da presidenta Dilma Rousseff para combater a pobreza extrema. O limite de benefícios destinados a crianças e adolescentes foi ampliado de três para cinco por família, aumentando em 1,3 milhão o número de crianças beneficiárias.

O valor da transferência de renda pago por criança foi corrigido em 45,5%. Também teve início o pagamento de um benefício variável para mulheres gestantes ou com bebês em fase de amamentação.

Em 2012, no âmbito do Brasil Carinhoso, todas as famílias beneficiárias do Bolsa Família com filhos na primeira infância passaram a ter a renda complementada, para que nenhuma delas recebesse menos de R$ 70 mensais per capita. Assim, o cálculo passou a considerar a intensidade da pobreza de cada família.

A redução da proporção de extremamente pobres também foi mais acentuada entre mulheres, nas áreas rurais e nas regiões Norte e Nordeste. Apesar de a pobreza extrema continuar mais elevada no meio rural do que nas cidades, os índices do campo caíram de 11% para 8,9% entre 2011 e 2012. O relatório indica que, na região Nordeste, a pobreza extrema sofreu queda de 9,1% para 7%. No Norte, a taxa passou de 5% para 3,7%.

“A redução da extrema pobreza no país foi ainda maior nos grupos mais vulneráveis”, observou a ministra do Desenvolvimento Social.

Metas – O Brasil chega às vésperas do encerramento do prazo para o alcance dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, marcado para 2015, como exemplo a ser seguido em suas políticas de combate à pobreza. Para o representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) no Brasil, Jorge Chediek, o “sucesso notável do Brasil nessa trajetória mostrou a todos que a liderança esclarecida e comprometida é capaz de ajudar a transformar a sociedade em menos de uma geração”.

No primeiro Objetivo do Desenvolvimento do Milênio, que trata de “acabar com a pobreza extrema e a fome”, a meta fixada para todos os países era originalmente reduzir à metade o nível registrado em 1990, quando um a cada quatro brasileiros (25,5%) era considerado miserável. Posteriormente, o país adotou metas mais ambiciosas que as internacionais: a redução da pobreza extrema a um quatro do nível de 1990 e a erradicação da fome.

Em 2007, o país já havia alcançado essa última meta. Segundo o relatório, o Brasil foi um dos países que mais contribuiu para o alcance global do primeiro Objetivo do Desenvolvimento do Milênio.

Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa: 
Ascom/MDS
(61) 2030-1021
www.mds.gov.br/saladeimprensa
Ler Mais

Picuí terá pólo da Zona Franca do Semi-Árido

Picuí terá pólo da Zona Franca do Semi-Árido
 O autor do projeto de instalação da Zona Franca do Semi-Árido (ZFS), o ex-presidente da União Brasileira  de Municípios (UBAM), Leonardo Santana, vai solicitar o apoio do Deputado Henrique Alves, presidente da Câmara, para uma tramitação mais rápida da Proposta de Emenda à Constituição 19/11, para que a proposta chegue ao plenário ainda nesta legislatura e siga para o senado. O encontro acontecerá na próxima semana em Natal (RN), onde reside Henrique Alves.

Por solicitação dele, a PEC foi apresentada há quatro anos, a qual vai alterar o artigo do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. O texto prevê que a ZFS terá características de área de livre comércio, para exportação e importação, com incentivos fiscais pelo prazo de 30 anos.

Pólo Industrial em Picuí Após a aprovação da PEC, Leonardo garantiu modificar o texto principal do chamado “projeto executivo”, para dividir cada pólo em três seguimentos industriais, inserindo o importante Município de Picuí, localizado no Curimataú paraibano, que será beneficiado com um pólo de 15 indústrias de alta tecnologia. Ficando Cajazeiras com 20 e Soledade com 15, totalizando 50 indústrias que fazem parte do Pólo da Zona Franca do Semi-Árido da Paraíba.

A proposta conferirá ao governo federal a atribuição de demarcar áreas de forma contínua, com círculo de raio mínimo de 100 quilômetros do centro de cada município Pólo.

Leonardo acredita que o ano eleitoral será muito importante para que os deputados nordestinos possam mostrar interesse num projeto que se constitui na redenção econômica e social do Nordeste, prevendo a geração de meio milhão de novos postos de trabalho, grande impulso na arrecadação de ICMS, IPI, ISS e outros impostos, além do significativo crescimento do PIB nordestino, equiparando-o ao de outras importantes Regiões do País.

“O objetivo de inserir o Município de Picuí no meu Projeto se deu por sua importante localização, visando expandir desenvolvimento para as outras cidades do Curimataú, como também para homenagear o visionário Filipe Thiago Gomes, fundador da Campanha de Escolas da Comunidade (CNEC), , com quem tive a satisfação de empreender alguns projetos na área de educação, em Brasília”. Disse Leonardo.


Ascom
Ler Mais

Após optar por RC, Buba Germano tacha Cássio de ingrato e explica rompimento


Após optar por RC, Buba Germano tacha Cássio de ingrato e explica rompimento
Em um desabafo, o ex-prefeito de Picuí, e ex-presidente da Federação de Associações de Municípios da Paraíba (Famup), Buba Germano (PSB), explicou os motivos que o levaram a romper com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), e seguir as orientações políticas do governador Ricardo Coutinho (PSB), que disputará à reeleição.

Em polêmica entrevista concedida a Correio FM em Campina Grande, Buba Germano disse que Cássio foi ingrato, visto que não se prestou a dásolidariedade a um amigo que lhe foi leal por mais de 20 anos. “Eu não tive a solidariedade do partido que prestei serviço por mais de 20 anos" lamentou.

Buba Germano, reafirmou que optou por apoiar o PSB justaente por não ter recebido a solidariedade necessária dos tucanos. Ele alegou que votou pelo projeto do atual governador, Ricardo Coutinho, justamente por pedido do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), em 2010.

– Continuo com o mesmo espírito de 2010, quando quis ser candidato e naquele momento pessoas nos orientaram e galgarmos êxito com essa alternativa. Não tive a solidariedade do partido que prestei serviço por mais de 20 anos – lamentou Buba Germano também garantiu que a deputada Gilma Germano (PPS), vai apoiar à reeleição de Ricardo Coutinho. 

Ele também ressaltou que a gestão de Ricardo Coutinho fez mais por sua cidade que a de Cássio Cunha Lima, mas que essa conclusão se dá por números e não por interesses políticos.


PBAgora
Ler Mais
 
Picui Notícias | by TNB ©2014